manual de sustentação

dessa altura só mesmo os pássaros

essa rolinha me bica o sono
canta meus escombros de recomeçar nua

acreditar é urgir corpo 
existir me desperta pelo ventre antes dos olhos

ela aguarda novas vestes
perfuma de óleos a elasticidade da urdidura 

da trama o encontro é lá embaixo dos pés 
abertos de escuta
manchados de madeira e lama

úmida do pouso 

sopro razão
que ramifica o que na vida ainda não é

chão

Comentários

Postagens mais visitadas